quinta-feira, 19 de julho de 2012

Depressão é passado demais....

O passado quando atormenta o pensamento leva a depressão, a intensidade e continuidade do lamentar, do não acreditar, do tentar consertar te tira o foco no presente, abstrai da realidade e te leva a um mundo particular, numa tentativa inútil de compreender.
O presente exige sua atenção 24 horas do dia, a necessidade de entender o que esta por trás, os sinais, as mensagens subliminares que todos nós para o bem e para o mal refletimos para o outro. Superar os problemas do dia a dia, faz o passado ficar mais leve, você entendeu e fez o seu melhor, o resultado é detalhes, ganhar e perder faz parte do jogo, logico que vencer mais e perder menos ajuda, porém só a continuidade te levará a paz interior, junto com a fé não conheço outra forma de atingir este estagio.


sexta-feira, 13 de julho de 2012

A divisão do tempo

Conversando com um novo amigo, também de rodinhas, sobre esporte e afins da importância do corpo para o desempenho das atividades do dia a dia.
Começo a me convencer em dividir melhor o meu tempo, terei que pensar em 1 ou 2 atividade esportiva, o veiculo elétrico tem o mesmo mal dos veículos automotores, o sedentarismo. Como andante não tinha o hábito de fazer uma atividade física, mas como cadeirante não posso ter este luxo. A correria do dia a dia me mantinha em forma, hoje a falta de mobilidade acrescida de outros pecados capitas, transforma o corpo, muda seu metabolismo, são acrescidas e retiradas de seu corpo sensações, manter a cabeça bem e o físico em forma é uma obrigação, um desafio, uma meta.

Começo a planejar o segundo semestre, faculdade na parte da manhã e alguma atividade física por lá mesmo, por ser em um shopping a faculdade, aproveitarei para ficar por lá, e após as aulas, vou começar uma atividade na academia, exame médico em dia, amigo a disposição para treinamento e orientações aos já capazes professores.
Melhorar o físico, suprir a mente de endorfina, auto estima lá encima, vamos que vamos.

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Meu equipamento...

Em visitas a Blog´s sobre a vida e obra de cadeirantes pelo Brasil, me deparei com reportagem sobre o meu triciclo elétrico que uso desde meados de 2011, o interlocutor dizia das beneficias do equipamento, até aí tudo ia bem, quando o mesmo disse em sair do equipamento para ingressar aos locais de destino, eu falei, pera ai, por aqui é diferente, constatei então que o meu bairro esta no caminho certo, oferecendo acesso a quase todos os lugares, com exceção é claro dos correios.
Resolvi sair ontem para documentar minhas aventuras por aqui e mostrar um bairro com uma certa acessibilidade. Primeiro fui ao Banco, depois loteria e por fim sacolão, onde a bateria acabou.
Concluindo, acho que devemos tentar em todos os locais, pois o equipamento é da largura de uma cadeira, o cumprimento não interfere muito em locais adaptados, por ser elétrico não emite ruido e gases, portanto proprietários deste veiculo, ousem, sempre, ousem.













segunda-feira, 9 de julho de 2012

Correios, nos ouçam !

Continuo minha saga contra os Correios S/A, além de ainda não terem consertado o da Rua Dias da Cruz, descobri outro, em breve vou postar as fotos.
Por agora quero me reter no mais próximo de casa, passei o caso adiante e vamos aguardar um retorno em breve. Espero ver este estabelecimento que adota a descriminação logo na sua porta, merece que divulguemos para que a inclusão seja feita por todos os comerciantes e afins. Vamos caminhar na direção certa e esta é a INCLUSÃO TOTAL. Divulguem, cometem e que os Correios S/A nos ouçam.





quinta-feira, 5 de julho de 2012

Trânsito, que horrível, e ainda tem pedágio.

Hoje, sexta-feira de sol, cidade maravilha mutante, com uma temperatura maneira, uma atividade primeira do dia, inscrever Luiza em um concurso para segundo grau em escolas publicas, no caminho tradicional Linha Amarela, quando vejo o pedágio, pronto, de volta ao trânsito. Lotado grandes filas, isto por volta das 11 horas, imagine mais cedo, mas com pouca retenção chegamos até rápidos.
Contudo quando começamos a voltar, mudou o retorno longe, tudo ia bem até chegarmos saída 2, pronto o caus instalado, comecei a filmar, parecia a velha Sampa, Marginal Tiete, Pinheiros, não perdia de muito não, e pensar que exatos 13 anos Eu via a Linha Amarela, vazia, vazia.
Programas de Politica Publica atendem bem aos interesses das montadoras, a economia cresceu bastante neste período, os carros são um termômetro, mas as vias publicas, investimento em transporte coletivo poderia também seguir os passos da industria automobilística.




video




video